26 de set de 2012

Mira: o supercomputador que vai descobrir como funciona o universo

Quando li essa matéria, fiquei de boca aberta, não pelo fato dessa máquina ser utilizada para desvendar os segredos do universo, mesmo porque isso não vai alterar nada em minha vida, mas sim pela capacidade de processamento da máquina. Esse desempenho é de deixar qualquer um com vontade de ter um desses em casa!

"Fazendo 10 quadrilhões de cálculos por segundo, computador vai descrever o movimento das galáxias".

Imaginem o que poderia ser feito utilizando toda essa capacidade de processamento? Possibilidades infinitas, poderia ser utilizada como uma mega render-farm (como uma rede de processamento utilizada na renderização de vídeos produzidos utilizando softwares de computação gráfica).

Leiam a matéria a seguir:



O Mira tem 78 mil processadores agrupados em 48 torres. (Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo)

Quando você ouve falar em supercomputadores, já é possível imaginar uma enorme sala com centenas de milhares de cabos e torres de processamento capazes de fazer proezas no mundo dos cálculos. Contudo, boa parte deles serve a propósitos industriais ou para pesquisas bastante direcionadas. O Mira, do Argonne National Laboratory, nos EUA, é diferente e vai tentar entender o movimento das galáxias.

O supercomputador possui nada menos que 78 mil núcleos de processamento e é capaz de fazer até 10 quadrilhões de cálculos por segundo, velocidade que deve ser suficiente para acompanhar a movimentação das partículas que formaram o nosso universo.

Assim, o Mira vai criar uma simulação da dinâmica do universo desde o Big Bang até 12 bilhões de anos depois disso. Com isso, será possível conferir se as teorias atuais sobre o movimento das galáxias e da expansão como um todo são realmente confiáveis.

A assinatura de tal máquina pertence à IBM e sua tecnologia BlueGene. Fora isso, o Mira dispõe de aproximadamente 1 pentabyte de RAM, o que corresponde à 1.024 TBs ou 1.048.576 GBs de memória.

Fonte: Gizmodo, Techmundo, Atlantic

Nenhum comentário:

Postar um comentário