10 de ago de 2011

Entrevista exclusiva com representante do grupo LulzSec Brazil

Nesta segunda-feira (8/8), o Olhar Digital conseguiu uma entrevista exclusiva com um dos membros do LulzSec Brazil, o grupo de hackers brasileiros que, em junho de 2011, derrubou diversos sites ligados ao Governo brasileiro e páginas de empresas como a Petrobras. As contas do Gtalk e do Skype do grupo foram enviadas a nós através da conta do Twitter oficial, o @LulzSecBrazil.

Atendendo pelo codinome de Bile Day, o representante do grupo concedeu a entrevista via Skype e não deixou que a conversa fosse filmada, pois ele estava sem a máscara adequada. Durante 25 minutos, Bile Day falou abertamente sobre os planos do LulzSec Brazil, como o grupo se organiza e quais as maiores barreiras enfrentadas por eles.

Segundo o hacker, seis pessoas, que já se conheciam há muitos anos, "fundaram" o grupo. As contas do Twitter, GTalk e o antigo perfil do Facebook - suspendido pela empresa - são atualizados por eles. Todos os membros trabalham constantemente invadindo servidores do governo em busca de documentos que comprovem corrupção dos políticos. "Nós trabalhamos em outros lugares, mas estamos 24 horas por dia fazendo varreduras atrás de informações relevantes para expor para o povo", conta.

O representante disse que o grupo tem uma forte ligação com os Anonymous e que praticamente todas as ações feitas no Brasil foram previamente comentadas com os hackers internacionais. Bile Day repetiu diversas vezes durante a entrevista que o LulzSec Brazil apoia o movimento dos Anonymous e até sugeriu que os brasileiros interessados também os acompanhem.

O grupo @LulzSec_BR também foi comentado durante a entrevista. Segundo o hacker, o grupo foi responsável por diversas difamações contra o @LulzSecBrazil - o original. "Eles que espalharam que nós éramos bandidos e uma farsa. Então, nós os expusemos em nosso site", conta.

Mídia

Outro ponto bastante abordado pelo membro do grupo foi a censura de diversos veículos, em especial as Organizações Globo. "Eles têm ligação com o governo. Não existe crédito nas notícias do G1, é pura alienação a favor do governo corrupto", completou.

Bile Day também mencionou que a entrevista do grupo concedida ao programa da Bandeirantes, CQC, foi um "pouco manipulada". De acordo com o integrante, eles cortaram parte do discurso e, por isso, deu a entender que o maior objetivo do LulzSec Brazil era apenas expor a falta de segurança nos sites brasileiros. "Esse é um dos objetivos também, mas o principal é expor a corrupção. Queremos informar o povo e esperamos uma revolução da parte deles", ressalta.

Nesta terça-feira (9/8), o grupo também divulgou na sua conta oficial do Twitter que estariam atrás de seis jornalistas "contratados por políticos que estão tentando desviar e disseminar informações falsas". "Não temos nada contra a classe e sim a favor dos jornalistas e que as grandes empresas tirem as mordaças dos mesmos", dizia um dos posts.

Planos

Ao ser questionado sobre o futuro, Bile Day admitiu que o grupo tem uma data para finalizar suas ações no país, mas que ainda não pode ser revelada. Além disso, o hacker comentou que uma das principais ideias é começar a organizar passeatas e movimentos sociais por todo o Brasil. "Queremos ir além do mundo digital. Dessa forma, conseguiremos atingir também pessoas sem acesso à internet", concluiu.

O integrante ainda revelou que o grupo tem alguns novos documentos em seu poder, que estão sendo analisados e, caso sejam relevantes, serão divulgados.

Fonte: OlharDigital

Nenhum comentário:

Postar um comentário