11 de abr de 2011

Linux declara vitória sobre Microsoft



Para o Linux, a guerra de 20 anos contra a Microsoft acabou, e o pinguim venceu. A afirmação foi dada por Jim Zemlin, diretor-executivo da Linux Foundation, que acredita que a Microsoft já foi ultrapassada pelo Linux em todas as categorias de produtos, exceto uma.

Nas palavras de Zemlin:

Eu acho que nós simplesmente não nos importamos mais tanto (com a Microsoft). Eles costumavam ser nosso grande rival, mas agora (criticar a Microsoft) é como chutar um cachorrinho.

Além disso, o executivo afirmou que “o Linux hoje domina quase toda categoria de computação”. De fato, ele está presente em televisores, em leitores de e-book como o Amazon Kindle e o B&N Nook, e em smartphones e tablets com Android ou com webOS (da HP), além de estar em quase todos os principais supercomputadores do mundo.

A exceção fica por conta de desktops e notebooks, nos quais o Windows está presente em aproximadamente nove de cada dez computadores. Entretanto, Zemlin acredita que, à medida que migramos de computadores tradicionais para smartphones e tablets, a Microsoft tende a perder espaço.

Engano dos que pensam que o Linux não está crescendo, como exemplo, temos os grandes servidores web. Foi feita uma pesquisa pela Zend, sobre o uso do PHP (que roda em servidores web com o Linux), e constatou-se que 97% dos servidores do mundo rodam o PHP sob o linux.

Órgãos públicos também estão migrando para Linux, como exemplo temos as escolas estaduais e municipais brasileiras, e órgãos como a Polícia Federal e o Exército, que já migram para o sistema do pinguim.

Quem fala mal de linux, é porque, na verdade, não conhecem o sistema e suas vantagens, ou têm medo de mudar para o novo sistema com medo de não se adaptarem com o modo de operação do Linux, isso tudo é devido ao comodismo que a maioria dos brasileiros têm pelo costume em trabalhar sob a plataforma do sistema Microsoft.

Ah só mais uma coisa, se Windows fosse bom, Bill Gates não utilizava um MAC na casa dele.


Fonte: Gizmodo, iMasters, Redação








Nenhum comentário:

Postar um comentário